Biotecnologia Tecnologia Ambiental

OTIMIZAÇÃO DA EXTRAÇÃO E DA HIDRÓLISE EM ÁGUA SUBCRÍTICA DE RESÍDUOS VEGETAIS

Sistema, que pode ser utilizado de forma sequencial, potencializa a obtenção de compostos bioativos, a partir de diferentes biomassas, sem o uso de solventes

É de amplo conhecimento que o uso de biomassa, seja ela de matéria animal ou vegetal, pode ser utilizada na produção de diferentes compostos de valor agregado e energia, como em setores de combustível, alimentos e cosméticos. Os de origem vegetal (lignocelulósicos), por apresentar alta disponibilidade, possuem maior potencial de aproveitamento energético. Contudo, a obtenção de compostos bioativos provenientes desse tipo de material, e sua exploração comercial, necessitam ser aprimoradas. Essa otimização permite que os rendimentos de açúcares fermentáveis sejam maximizados, enquanto a formação de produtos de degradação é minimizada. Nesse contexto, pesquisadores da Unicamp desenvolveram um sistema de extração-hidrólise, utilizando água subcrítica, para obtenção de compostos bioativos e plataformas químicas.

 

Tal sistema permite a realização de trabalhos com baixas temperaturas de forma gradual e possibilita a extração e a hidrólise de maneira sequencial. A utilização desse processo pode ser considerado também como uma biorrefinaria economicamente viável, já que é capaz de realizar as duas etapas: a extração seguida da hidrólise. Com isso, é possível extrair os compostos bioativos e açúcares e hidrolisar a biomassa no mesmo reator. Outro ponto que vale a pena ressaltar é que a invenção não utiliza solventes, mas somente a água subcrítica em ambas as etapas, reduzindo o impacto ambiental.

PRINCIPAIS BENEFÍCIOS E CARACTERÍSTICAS DA INVENÇÃO:

wallet
Potencial menor custo
natural
Maior eficiência de extração
hand-gesture
Redução do impacto ambiental

INVENTORES:

Tania Forster Carneiro

Professora na Faculdade de Engenharia de Alimentos na Área de Bioengenharia e Biotecnologia da Universidade Estadual de Campinas desde 2013. Dra. Forster-Carneiro concluiu o doutorado em Engenharia de Processos Industriais – Universidade de Cádiz (Espanha) em 2004. Atualmente é coordenadora do Projeto FAPESP (Jovem Pesquisador 2) na UNICAMP.
Mauricio Ariel Rostagno
Faculdade de Ciências Aplicadas/UNICAMP
Daniel Lachos Pérez
Faculdade de Engenharia de Alimentos/UNICAMP
Paulo César Torres Mayanga
Faculdade de Engenharia de Alimentos/UNICAMP
FACULDADE/INSTITUTO:
Faculdade de Ciências Aplicadas/UNICAMP
Faculdade de Engenharia de Alimentos/UNICAMP

Esta tecnologia foi desenvolvida em parceria com a FAPESP

STATUS DA PATENTE:

DEPOSITADO
CÓDIGO: 1448_SEQUENCIAL

MAIS INFORMAÇÕES:

parcerias@inova.unicamp.br

(19) 3521.2607 / 5013

COMPARTILHE:

TECNOLOGIAS RELACIONADAS: