LEVEDURA RECOMBINANTE, BIOSSENSOR E MÉTODO PARA DETECÇÃO DE CORONAVÍRUS

Metodologia utiliza biotecnologia e microorganismo para detectar de forma rápida e eficaz quantidades consideráveis de vírus em amostras da saliva ou secreções nasofaríngeas de indivíduos infectados.

Atualmente, os testes para detecção da SARS-CoV-2 (vírus responsável pela COVID-19) se baseiam em métodos que dependem de insumos enzimáticos com preços elevados, trazem uma dependência de países que os produzem e podem não apresentar uma eficácia satisfatória. Nesse cenário, pesquisadores do Instituto de Biologia da Unicamp desenvolveram um teste que utiliza um biossensor e possibilita identificar a presença do vírus causador da Sars-Cov-2. A tecnologia se baseia em um microorganismo mutado não patogênico, tornando o procedimento de detecção barato, simples, seguro e específico.

A utilização do biossensor entra como solução eficiente frente a testes como o de (qRT-PCR) e os de sorologia. O de (qRT-PCR), envolve processos custosos, dependentes de material importado, equipamentos específicos, mão-de-obra especializada, capacidade limitada e uma longa espera pelo resultado, dependendo da infraestrutura do laboratório de triagem. Já os de sorologia, se baseiam na detecção de anticorpos a partir de amostra sanguínea do organismo infectado, contudo, apresentando alto nível de erro para detecção de SARS-CoV-2.

PRINCIPAIS BENEFÍCIOS E CARACTERÍSTICAS DA INVENÇÃO:

Baixo custo
Maior rapidez nos resultados
Maior precisão

INVENTORES:

Gonçalo Amarante Guimarães Pereira

• Professor Titular do Instituto de Biologia/ UNICAMP
Fellipe Da Silveira Bezerra De Mello
Instituto de Biologia
Carla Maneira Da Silva
Instituto de Biologia

 

FACULDADE/INSTITUTO:
Instituto de Biologia – IB – UNICAMP

STATUS DA PATENTE:

DEPOSITADO
CÓDIGO: 1547_BIOSENSOR_COV

MAIS INFORMAÇÕES:

parcerias@inova.unicamp.br

(19) 3521.2607 / 5013

COMPARTILHE:

TECNOLOGIAS RELACIONADAS: