Química Tecnologia Ambiental

Tratamento de efluentes eficiente em tempo reduzido

PRINCIPAIS BENEFÍCIOS E CARACTERÍSTICAS DA INVENÇÃO

reuso

Permite lançar efluentes diretamente na linha de esgotamento

graph

Redução considerável de cor, turbidez e DBO

clock

Processo realizado em aproximadamente 3 horas

Novo processo permite tratar efluentes e águas residuárias sem a necessidade de pré-tratamento e em menor tempo do que as tecnologias atualmente empregadas

Uma parceria entre pesquisadores da Unicamp, Unesp e UFMG resultou em um novo processo de tratamento de efluentes e águas residuárias com aplicação em saneamento básico e gestão de resíduos sólidos. A invenção possibilita lançar efluente tratado diretamente na linha de esgotamento sanitário, sem a necessidade de deslocar os lixiviados brutos até as Estações de Tratamento de Esgoto, o que representa uma alternativa às tecnologias atualmente empregadas. 

Um dos maiores desafios da sociedade moderna é a gestão adequada de resíduos sólidos, devido ao seu volume cada vez maior. Quando feita de forma inadequada, ela pode gerar graves danos ambientais e de saúde pública, como a liberação do chorume ou lixiviado oriundos dos aterros sanitários no solo e nos rios, que causam toxicidade para a biota e comunidades aquáticas, diminuição do oxigênio dissolvido e eutrofização nos corpos d’água receptores. 

Para resolver este problema, a presente invenção associa a cavitação hidrodinâmica com processos de coagulação, floculação, ozonização e adsorção com carvão ativado em pó, que possibilita maior superfície de contato no tratamento. Dessa forma, ela consegue utilizar uma quantidade de carvão ativado em pó inferior às alternativas presentes no estado da técnica, além de contar com um menor tempo de contato e dosagens inferiores de cloreto férrico e sulfato de alumínio. 

Adicionalmente, a invenção não necessita da aquisição de oxigênio ultrapuro, que tem um custo elevado, para a produção de ozônio e nem da adição de um catalisador. Também não há a necessidade de mão de obra especializada para a realização do procedimento e nem de maior área para instalação da tecnologia, além do tratamento ocorrer em um espaço de tempo menor quando comparado às tecnologias já existentes. 

Como resultado, o processo desenvolvido permite tratar efluentes sem que estes passem por nenhum pré-tratamento, sendo necessários aproximadamente 3 horas para sua realização. Em testes realizados com uma amostra quimicamente complexa proveniente de um rio poluído, foi possível reduzir a Demanda Química de Oxigênio em valores de 81,7% a 85,7%, a coloração em valores de 90% a 97,3% e a turbidez em valores que vão de 6,25% a 65%. 

INVENTORES

José Roberto Guimarães

• Graduação em Química (1986)
• Doutorado em Química (1995)
• Professor titular (FEC-Unicamp)
Janaina de Melo Franco Domingos
Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho – UNESP
André Henrique Rosa
Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho – UNESP
Thiago de Alencar Neves
Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
Djalma Lucas de Sousa Maia
Instituto de Química – (IQ – Unicamp)
Oswaldo Luiz Alves
Instituto de Química – (IQ – Unicamp)

FACULDADE/INSTITUTO:

Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo (FEC-Unicamp)

PARCEIROS:

Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho – UNESP
Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)

DETALHES

TÍTULO: Processo de tratamento de efluentes e/ou águas residuárias por cavitação hidrodinâmica associada à coagulação, floculação, ozonização e adsorção com carvão ativado em pó
STATUS: DEPOSITADO
CÓDIGO: 1667_ATERRO
Sorry, no posts matched your criteria.

COMPARTILHE:

TECNOLOGIAS RELACIONADAS: