Engenharia Elétrica Tecnologia audiovisual

Conversão de pacotes de transporte Integrated Services Digital Broadcasting – Terrestrial para Digital Video Broadcasting de forma simples e sem perda de informação

PRINCIPAIS BENEFÍCIOS E CARACTERÍSTICAS DA INVENÇÃO

workflow

Método simples e sem perda de informações

audio-waves

Compatível com Redes de Frequência Única

protection

Tecnologia robusta amplamente usada por muitas emissoras

Método de remultiplexação de sinais Integrated Services Digital Broadcasting -Terrestrial para distribuição de sinais de televisão usando padrão Digital Video Broadcasting

O Sistema Brasileiro de TV Digital Terrestre (SBTVD) é baseado no sistema japonês Integrated Services Digital Broadcasting – Terrestrial (ISDB-T). A transmissão pode usar Redes de Frequência Múltipla (MFN) e Redes de Frequência Única (SFN), permitindo que um único canal de TV cubra uma grande área usando a mesma frequência, o que aumenta a eficiência do espectro e a qualidade da recepção do sinal de TV.

Entretanto, esse padrão utiliza uma versão de Transport Stream adaptado, o Broadcast Transport Stream (BTS), de 204 bytes, que é incompatível com a maioria dos equipamentos utilizados por outros padrões de TV digital. Esse é o caso do Digital Video Broadcasting (DVB), conhecido como padrão europeu, e que utiliza apenas 188 bytes. Para resolver esse problema, um novo método criado na Unicamp permite converter pacotes de transporte Integrated Services Digital Broadcasting – Terrestrial para Digital Video Broadcasting (e vice-versa) de forma simples e sem perda de informação.

A conversão é feita na camada de transporte por meio de uma tecnologia que comprime os pacotes Broadcast Transport Stream em Transport Stream, descarta os pacotes nulos e depois reconstrói o Transport Stream em Broadcast Transport Stream com a mesma integridade original. Dessa forma, é possível distribuir o Broadcast Transport Stream economizando banda e permitindo a construção de Redes de Frequência Única mais amplas e com menor taxa de bits do que o Broadcast Transport Stream original. Entre diversas opções, a invenção pode ser aplicada em sistemas de distribuição de TV via satélite, à cabo, fibra ótica, radiodifusão direta terrestre, sistemas de telecomunicações, enlace de micro-ondas, internet, entre outros.

Ao compatibilizar a camada de transporte Integrated Services Digital Broadcasting – Terrestrial e Digital Video Broadcasting com a tecnologia proposta, é possível reduzir a largura de banda e utilizar a infraestrutura existente das emissoras. Essa tecnologia beneficia todos os países que adotaram a tecnologia Integrated Services Digital Broadcasting – Terrestrial na Ásia, América Latina e África.

INVENTORES

Yuzo Iano

• Graduação em Engenharia Elétrica e Computação – FEEC/Unicamp (1972)
• Mestrado em Engenharia Elétrica – FEEC/Unicamp (1974)
• Doutorado em Engenharia Elétrica – FEEC/Unicamp (1986)
• Professor na Faculdade de Engenharia Elétrica e Computação – FEEC/Unicamp
Ana Lúcia Mendes Cruz Silvestre da Silva
Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação (FEEC)
Fernando Silvestre da Silva
Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação (FEEC)
Cristiano Akamine
Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação (FEEC)

FACULDADE/INSTITUTO:

Faculdade de Engenharia Elétrica e de Computação (FEEC)

DETALHES

TÍTULO: Compressão de Broadcast Transport Stream para Integrated Services Digital Broadcasting – Terrestrial
STATUS: CONCEDIDO
CÓDIGO: 407_IANO

COMPARTILHE:

TECNOLOGIAS RELACIONADAS: